I M P O R T A N T E

As informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo a opinião ou conselho de seu médico.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

O “Doutor Google” atende hoje?




 Quem nunca pesquisou na internet sobre algum sintoma como palpitações, tentou desvendar o resultado de um exame ou procurou informações sobre o tratamento de uma doença?
 Não faltam sites com diagnósticos mágicos e promessas de curas milagrosas, provocando mais indagações e respostas fantasiosas. 
 A internet popularizou o acesso à informação e alterou a rotina nos consultórios médicos. Não raro, profissionais da área da saúde se deparam com pacientes e familiares bem informados e questionadores.  A culpa é do “Dr. Google”?
 Diante desta nova realidade, é importante definir e saber como interagir dentro deste ecossistema virtual. Os profissionais, ao invés de contestar o conteúdo da web, devem aumentar a sua participação ativa em redes sociais, fóruns de discussão, blogs ou diários virtuais, pois a geração de conteúdo cria espaços para disseminar conhecimento de qualidade a todos os interessados sejam pacientes, familiares ou cuidadores. Muitos sites, por exemplo, contam com profissionais qualificados que com seu nome qualificam e dão credibilidade à informação, aproximando os interessados da realidade cientificamente validada utilizando o mundo virtual. Os internautas tem a chance de consumir conteúdo sério e produzido por fontes confiáveis. Todos ganham com este processo.
 Há alguns anos edito este blog direcionado a difusão de conhecimentos em arritmias cardíacas. Mantê-lo atualizado exige tempo e dedicação, pois a demanda dos leitores é alta. A aproximação com os internautas transmite a real inquietação com a falta de informações, descaso com a saúde e principalmente de alguém que esclareça, que informe.  Esta lacuna está sendo ocupada pelas redes sociais. Aqui cabe a pergunta: o que o sistema de saúde ganha com isto? A resposta é simples; quanto mais esclarecidos estamos mais saudáveis seremos. Este simples fato permite que façamos as perguntas e, principalmente as escolhas corretas.
 Assim, se você é profissional da área da saúde, nunca subestime o paciente/leitor, lembre-se que a sua credibilidade é a grande ferramenta para diferenciar-se do Dr. Google. Da mesma forma, se você é usuário da internet lembre-se que na próxima vez que você for pesquisar no Dr. Google verifique atentamente a fonte destas informações.

6 comentários:

  1. Doutor Cidio,

    Minha história é um pouco longa mas lhe imploro, me de pouco de atenção eu tenho sofrido muito. Tenho 20 anos de idade e tenho sentido um monte de coisas.

    Tudo começou quando eu estava sentido algumas dores no torax, na região do peito esquerdo. Fui ao cardiologista para tentar descobri o que estava acontecendo e ele me pediu um exame de esteira e eu o fiz. Quando retornei, o medico constatou que meus batimentos subiram demais durante o teste e me recomendou fazer caminha diária de ao menos 30 minutos, também me pediu um exame de roter. Ele também me contou que as tais dores não tinham relação com o meu coração.

    Apos o exame pude constatar que durante as 24 horas eu tive 5 arritmias supraventriculares. Ele me disse que não deveria me preocupar pois estava tudo bem e foi o que fiz. Alguns dias depois fui selecionado para um intercambio de graça para os Estados Unidos, devido ao meu bom rendimento escolar e decidi fazer uma outra consulta ao medico para saber se estava bem. Este também notou as arritmias apenas de ouvir meu coração. Fiquei muito nervoso e preocupado pois no dia seguinte eu embarcaria rumo a outro pais.

    Quando cheguei aqui no Estados Unidos as coisas pioraram muito. comecei a sentir tanta coisa que mau sei por onde começar. A primeira vez que senti algo estranho foi comendo com alguns amigos. Repentinamente eu senti uma leve ânsia. meu corpo todo começou a ficar gelado, meu coração ficou muito acelerado e achei que fosse morrer ali mesmo. Neste dia eu achei que tinha relação com sal da comida, mas logo pude constatar que não. Uma semana depois, eu estava a caminho de casa dentro de um ônibus eu senti meu coração bater muito forte e por um segundo tive a sensação de que o senti na garganta também. No mesmo dia pedi aos meus "pais" americanos que me levassem ao medico. Pois voltei a sentir isso novamente em casa enquanto lia sobre o assunto. Ah, eu também senti meu corpo todo frio também

    No medico fiz eletrocardiograma que constatou novamente as arritmias, fiz um radio-x do torax e um exame de sangue, todos os resultados normais. Fui diagnosticado com ansiedade e achei que da li em diante eu não iria mais me sentir mau. Porem agora sempre que eu sinto meu coração dar essa batida forte eu me desespero. Sinto formigamento no rosto e dormência nas mãos, tonturas, fraqueza e muitooo medo de morrer. Sinto dores o tempo todo, nos braços, no torax, nas costas e nos ombros. Sinto meu coração bater rápido e falta de ar.Isso tem acontecido muito dentro de lugares fechados. Tenho que por a mão no peito para sentir se meu coração está batendo Sem falar da saudade da minha família no Brasil. Também tenho sensação de boca seca o tempo inteiro, muita sede e vontade de ir no banheiro.

    Doutor, eu sei que não tem como o senhor me diagnosticar por email, mas eu estou sofrendo muito, estou desesperado, cada vez mais. Eu não posso ir no medico aqui, pós dependo do seguro para pagar as contas e nem sei se a primeira consulta já esta quitada. Devo retornar ao Brasil em uma semana.

    Por favor me ajude, eu estou aguardando sua resposta atenciosamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou médico mas acredito que eu tenha passado por algo semelhante. Todos os sintomas que ocorreu com vc, aconteceram comigo. No final, descobri que era ansiedade mesmo e que estava tudo bem com minha saúde.
      Caso seja isso mesmo, procure trabalhar o o seu psicológico. Quando começar os ataques respire bem fundo e tenha consciência de que é passageiro e de que não irá morrer. Outra coisa legal que eu fiz e que funcionou é realizar periodicamente exercícios físicos. Corrida, bicicleta, natação... Isso me ajudou bastante! Fui tbm a uma psicologa e foi bem proveitoso.
      Isso ocorreu comigo e é só algumas dicas. Mas não deixe de confirmar com especialistas da área.
      Afinal, saúde é coisa séria,
      Boa sorte e fique calmo :)

      Excluir
    2. Todos os sintomas de síndrome do panico....tb tenho...eh horrível. .procure um psiquiatra

      Excluir
  2. Um portador de marca passo tem direito a receber auxílio doença?

    ResponderExcluir
  3. Meu nome e Rosy o meu caso e o seguinte: As vezes sinto meu coração bater rápido e como se estivesse acabado de fazer uma corrida e me cansado muito e as vezes meu coração bate aceleradíssimo ate parece que vai sair pela boca. O que será?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rosy, existem diversas postagens no blog sobre este tema, sugiro que procures na lista de marcadores no coluna da direita.
      Boa navegação!

      Excluir

Dia do portador de marcapassos

Em comemoração ao  Dia do Portador de Marcapasso , 23 de setembro, cardiologistas de todo o Brasil vão promover uma campanha orienta...