I M P O R T A N T E

As informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo a opinião ou conselho de seu médico.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Refrigerantes aumentam risco de doenças cardíacas

 


 Bebidas açucaradas estão associadas com um aumento no risco de doenças cardíacas conforme publicado em uma das mais importantes revistas médicas do mundo.
 Após avaliarem quase 43 mil homens, os autores constataram que mesmo uma quantidade pequena de bebida açucarada (equivalente a uma lata de refrigerante) quando consumida todos os dias, está associada com um aumento de 20% no risco de doença cardíaca. Não foi feita distinção entre os diversos tipos ou marcas de refrigerantes.
 Este aumento de risco cardíaco não existiu com os refrigerantes “light”.  
 Ainda de acordo com os investigadores: "é uma questão aberta se o refrigerante light é uma alternativa aos refrigerantes regulares, porém o risco cardiovascular não é o mesmo" 


fonte

quinta-feira, 8 de março de 2012

Atividade sexual, doença cardíaca e arritmias

 


  Este assunto não costuma ser tratado durante as consultas ao médico as vezes por dificuldades do paciente  falar a respeito ou mesmo por falta de oportunidade. Em diversas oportunidades quem tem a coragem de falar sobre o assunto é o parceiro (parceira). Sabe-se que o desejo e a função sexual, em muitas pessoas podem persistir independente da idade, porém eventuais doenças existentes exigem cuidados especiais. 
  O Colégio Americano de Cardiologia publicou as seguintes orientações que respondem a grande maioria das dúvidas: A linguagem utilizada no documento original não é de fácil entendimento, portanto , como de hábito modifiquei a linguagem utilizada para que todos os interessados entendam as recomendações.

1. Importante: Os pacientes com doença cardíaca que desejam iniciar ou retomar a atividade sexual devem ser avaliados pelo seu médico.

2. A atividade sexual é permitida para cardiopatas com baixo risco de complicações cardiovasculares.

3. O teste ergométrico pode ser utilizado para pacientes com risco cardiovascular moderado, alto ou desconhecido para avaliar a capacidade física no exercício e o desenvolvimento de sintomas.

4. Não é necessário "aguentar" até o final do teste de esforço para ser liberada a atividade sexual.

5. A reabilitação cardíaca e o exercício físico regular podem ser úteis para reduzir o risco de complicações cardiovasculares na atividade sexual.

6. Pacientes com doença cardíaca descompensada e/ou grave (ex. piora ou surgimento de novos sintomas) devem adiar o retorno da atividade sexual até sua liberação pelo médico.

7. Doença arterial coronária (entupimento das artérias do coração):
A atividade sexual é considerada segura para pacientes com:
 Angina estável crônica de fraca intensidade.
• Após infarto do miocárdio sem complicações: duas semanas. 
• Após cirurgia do coronárias ("ponte safena"):2 meses devido a necessidade de cicatrização do esterno (osso do peito).
• Angioplastia com ou sem colocação de stent ("molinha") sem complicações: uma semana.
• Quando a cirurgia não é suficiente para corrigir todas as obstruções das artérias do coração: realizar teste de esforço. 


8. Doença das válvulas do coração:
•  Doença leve ou moderada e sem sintomas ou com sintomas leves 
não tem contra-indicações.
• Portadores de próteses valvares funcionando normalmente não apresentam contra-indicações.
•  A atividade sexual não é recomendada para aqueles com doença valvular grave ou muito sintomática.

9. Portadores de arritmia e marcapassos:
• A atividade sexual é liberada para pacientes com fibrilação atrial ou flutter atrial com resposta ventricular controlada,
 assim como para aqueles com crises eventuais de taquicardias.
• A atividade sexual é liberada para os portadores de marcapassos.
• Quem utiliza desfibriladores também tem atividade liberada, desde que ela não seja a causa de arritmias severas.
• A atividade sexual não é indicada para pacientes com fibrilação atrial e frequências altas do coração, assim como para aqueles com arritmias sintomáticas desencadeadas pelo esforço.

10. Outras recomendações:
• A utilização de estimuladores como Viagra, Cialis, etc pode ser feita desde que liberada pelo médico em praticamente todas as situações. Deve-se sempre levar ao médico a lista de todas as medicações em uso pois algumas podem causar efeitos colaterais desagradáveis ou mesmo impedir o uso dos estimuladores.

• Alguns remédios do coração (nitratos) necessitam cuidados especiais ou mesmo sua suspensão quando utilizados em conjunto com estimuladores.
• A utilização de estrogênio local ou tópico em mulheres com doença cardiovascular pode ser realizado.

• O uso de fitoterápicos com ingredientes desconhecidos não deve ser realizado, assim como o uso de energéticos.

  Lembre-se sempre  de conversar com seu médico antes de realizar alguma atividade diferente da recomendada.

Os fabricantes de dispositivos de fitness ou qualquer dispositivo com sensores relacionados com a saúde, geralmente são cuidadosos e r...