domingo, 26 de fevereiro de 2012

Palpitações, arritmias e ansiedade



Ansiedade pode levar a arritmias? Sim, e com certeza é a sua maior causa.
A ansiedade é uma resposta natural do ser vivo a um estímulo que é percebido como ameaça real, possível ou mesmo imaginária.
Todos nós temos nossas ansiedades, as diferenças estão na quantidade e qualidade do estímulo e principalmente em nossa resposta a eles.  O mesmo problema pode levar a respostas completamente diferentes. Uma mancha na pele pode levar algumas pessoas a um verdadeiro estado de pânico.
Nosso corpo e cérebro estão sempre preparados a responder a desafios, desde um atraso em um compromisso importante até um acidente na rua. Quando este sinal de alerta ocorre o cérebro libera algumas substâncias que provocam diversas alterações no nosso corpo:o coração começa a bater mais depressa, as pupilas se dilatam, aumenta a quantidade de sangue nos nossos músculos e cabeça, diminui a quantidade de sangue nos intestinos entre outras coisas. Tudo para que nos possamos ficar mais alertas e prontos para reagir. 
Apesar do corpo realizar diversas mudanças, normalmente não sentimos nada. 
Não é incomum que após algum stress algumas pessoas sintam dor de cabeça, um pouco de aceleração no coração, irritabilidade ou até mesmo vontade de ir ao banheiro.
A ansiedade é saudável, necessária para que possamos estar alertas, atentos e disponíveis para enfrentar situações inesperadas.
Uma pergunta que talvez seja interessante: podemos viver sem ansiedade?
Temo que não. Imaginem um atleta indo para suas competições sem ansiedade, ele não tem mais o estado de alerta, portanto não teria pelo que lutar. No nosso dia-a-dia, quando diante de um novo desafio, uma nova tarefa, se não estivermos mentalmente preparados não vamos cuidar para que saia da maneira planejada.
O problema maior surge quando estas sensações normais começam a aumentar de intensidade ou surgir fora do momento certo. Todas aquelas reações normais tornam-se um incômodo. 
A sensação do coração batendo forte (palpitações) é uma das manifestações mais comuns da ansiedade. Nem sempre estão associadas com alterações dos batimentos cardíacos mas o simples fato de sentir o coração bater é muito incômodo.


Tratamento? Consulte seu médico. Caso não tenha nenhuma doença ou utilizando algum remédio que possa estar causando este problema, procure investir em sua qualidade de vida.


Alimente-se bem, pratique um esporte, faça coisas que você gosta, leia, escute uma boa música, de risada com seus amigos e familia.  Pequenas coisas que irão aliviar os seus dias e diminuir estas desagradáveis e angustiantes sensações. Viva a vida !

8 comentários:

  1. concerteza a ansiedade, assim com estresse desgastam o nosso corpo como um todo. parabéns pela matéria

    ResponderExcluir
  2. Dr. Cídio, bom dia!
    Há uns 6 meses, tenho tido alguns episódios assustadores (para mim) de palpitações. Sinto quase todos os dias uma sensação horrível de batimentos na garganta, que geram um grande mal-estar no corpo, mas em menos de um minuto passa.
    Tenho 23 anos e sou bastante ansiosa, inclusive já tive síndrome do pânico há 3 anos, fui tratada e melhorei muito. Na época da síndrome, eu não sentia este mesmo tipo de palpitações com frequencia, apenas aquela "aceleração" do coração durante as crises.
    Já passei em consultas na cardiologista há mais de um ano, mas foi antes de sentir essa frequência de palpitações no pescoço/garganta. Na época das consultas, os exames eram de rotina, apenas para saber se eu estava apta a realizar exercícios físicos, e também por conta da síndrome do pânico. Fiz ecocardiagrama, teste de esforço na esteira, e já fiz alguns eletros desde então (datados do final de 2010). Nenhum destes exames acusou qualquer alteração. Meus exames de sangue datados do meio de 2011 também não tem nenhuma alteração (hemograma, colesterol, tireoide, glicose). Desde o ano passado, faço exercícios não-aeróbicos 2 vezes por semana (Pilates) e aos finais de semana costumo caminhar um pouco. Tenho hábitos alimentares um pouco ruins, mas nada muito exagerado (às vezes como umas "porcarias" e frituras). Não sou fumante, nunca fui.
    Ainda assim, fico muito preocupada e me sinto muito mal depois das palpitações, e como elas vêm aumentando de freqüência fico com muito medo da possibilidade de morte súbita.
    Minha próxima consulta na cardiologista é só daqui a 3 meses.
    Gostaria de uma breve orientação sobre meu caso até lá, para saber até mesmo o que devo dizer para a médica para facilitar a investigação do problema.
    Agradeço seu retorno, se possível.
    Obrigada e parabéns pelo site esclarecedor!
    Débora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, as informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo uma consulta ao médico. Boa sorte

      Excluir
  3. DR. fiz um ecg de repouso que deu:
    ritmo
    ritmo sinusial regular
    repolarização
    alterações inespecificas da repolarização ventricular
    o que significa essas alterações?
    obrigada se reponder gostei do seu blog. MÔNICA

    ResponderExcluir
  4. Olá Monica, a interpretação deste e de qualquer exame só pode ser feita por um médico. A postagem http://www.foradoponto.com/2009/12/para-que-serve-o-eletrocardiograma.html pode ser útil.
    Obrigado por tua visita e boa sorte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ja li esse post, o meu médico disse que tá tudo bem,porém fico em dúvida pq ele disse para eu ter repouso, ñ entendi pq?,ja li muitas coisas a respeito e fico preocupada, pq tenho muitos sintomas como: tonturas, dor no peito,falta de ar, penso q vou morrer,
      talvez pode ser ansiedade, ele pediu outros exames e na próxima semana voltarei a falar com ele. obrigada.

      Excluir
  5. benedito antunae de oliveira filho19 de abril de 2012 12:21

    dr bom dia o meu coraçao bate decontrado no peito e vai ate a garganta pareçe que vai dispara tenho prolpiso na valvula mitral e cindrome do panico estes cintomas são perigozos tenho cinquenta anos descobri o prolpiso a 20 anos depois que fis um eco cardiograma o meu nome e benedito e quem quizer compartinha estes cintomas comigo entre no meu msn que e dito.solange@hotmail.com obrigado desde ja

    ResponderExcluir
  6. Bom dia! Dr Cidio. O assisti ontem no programa do Dr Abraão, na band. Meu nome é Fernanda! Tenho 26 anos e 8 meses. Desde os meus 11 anos (mais ou menos) sinto palpitações. O que posso descrever é que quando praticava exercícios na escola (educação física) em vários momentos na hora das corridas excessivas, meu coração disparava, eu sentia tontura e falta de ar. Mas logo passava. Hoje o que sinto é (vamos dizer 1 vez por semana), em qualquer momento, meu coração acelerar, descompassadamente, fico tonta, tusso e ele começa a voltar ao normal...dentro de uns 2min, mais ou menos. Enfim, Já fui em dois cardiologistas da minha cidade (uma vez com 15 anos e outra com 20 anos) mas ambos disseram que o que sinto é ansiedade e que não possuo problemas em meu coração. Tenho interesse em uma nova consulta médica, para tentar descobrir o que realmente eu tenho e se há tratamento, cura, enfim. Pois essas palpitações não param e é muito desconfortável! Obrigada pela atenção!

    ResponderExcluir