I M P O R T A N T E

As informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo a opinião ou conselho de seu médico.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Morte súbita não acontece só em idosos

 Apesar de não ser comum, crianças também podem ter problemas cardíacos, muitos deles de altíssimo risco. Apesar de uma avaliação cardiológica não ser indicada para todas as crianças, sugere-se que aquelas que querem participar em esportes competitivos visitem um cardiologista para a realização de exames e prevenir problemas sérios.
 Neste vídeo uma menina de 12 anos sofre morte súbita dentro da escola sendo salva por professores treinados utilizando um desfibrilador externo automático.
  
 Este tipo de apareho já existe a venda no país, mas infelizmente as pessoas e as instituições só lembram de fazer sua aquisição após alguém precisar.
 Se a reanimação não for iniciada em menos de 2 minutos, a chance de morte é próximo de 100 %. Portanto tempo não conta a favor de quem passa por esta situação dramática. 
 É bom lembrar que mais de 100 000 brasileiros tem morte súbita em cada ano.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Detectores de metal não causam interferência em portadores de marcapassos



  Os marcapassos são aparelhos pequenos, colocados abaixo da clavícula quando o coração está muito lento. Eles funcionam emitindo pequenos pulsos elétricos intermitentes, fazendo o coração bater  na frequência necessária para que seu portador possa ter uma qualidade de vida adequada. Para controlar as acelerações do coração que podem provocar a morte súbita, os médicos indicam a colocação de outro tipo de marcapasso chamados de desfibriladores. Eles são implantados da mesma maneira que os marcapassos tradicionais.
  Alguns dispositivos eletrônicos, como os detectores de metais utilizados para segurança nos aeroportos, utilizam campos magnéticos que podem interferir com a função dos marcapassos. Em estudo recentemente publicado, os médicos procuraram avaliar se os detectores portáteis de metais ("raquetes")  frequentemente utilizados em aeroportos podem causar interferências no funcionamento dos marcapassos.
  Após avaliar quase 400 pacientes com a utilização de eletrocardiograma durante a passagem pelo equipamento, os investigadores não observaram nenhuma alteração nos funcionamento dos marcapassos, ou seja apesar de não terem sido avaliados todos os tipos de marcapassos existentes, pode-se afirmar que a utilização dos detectores de metal manuais tipo "raquete" não causaram nenhuma interferência nos marcapassos ou desfibriladores implantados. 



domingo, 6 de novembro de 2011

Diga-me que website voce acessa que eu te direi quem és.




  "Doutor, eu sinto meu coração dar umas pontadinhas, será que vou ter morte súbita ? Perguntas assim recebo várias via blog. O fato é que a leitura completa das postagens responde este tipo de dúvida. Pouco adianta ler apenas o título da postagem e começar a digitar perguntas. Se investimos em roupas, sapatos ou vendo filme no YouTube, podemos investir um pouco de tempo lendo !!!  
  Cada vez mais observo que os pacientes chegam ao consultório após terem “consultado” na internet. Algumas vezes chegam bem informados mas a maioria  acredita que já conhece sua doença e inclusive o melhor tratamento! A web e as redes sociais  modificaram  o relacionamento entre os médicos e seus clientes, tornando-os melhor informados, porém frequentemente com "verdades" que nem sempre estão de acordo como a realidade.  
  Isso é o que me assusta, o conhecimento em si é muito bom e deve ser incentivado mas seu mau uso pode criar doentes e doenças irreais.
  Cria-se um novo tipo de cliente: aquele que acha que sabe tudo e veio á consulta apenas para confirmar se a internet está correta e se seu médico está fazendo o que a internet "manda".
  O fato é que estatísticas americanas recentes mostram que aproximadamente 70 % das informações médicas da internet não tem nenhuma base científica.

  É importante e fundamental que as pessoas se interessem por sua saúde,  porém procure sempre sites com informações confiáveis. 

  Se você está lendo online e a informação está começando a ficar assustadora, é o sinal para desligar o computador e fazer uma consulta com seu médico.
  Se o site quiser vender algo ou sugerir um "tratamento miraculoso" procure outras fontes.
  O computador não pode resolver problemas médicos complexos que requerem experiência e raciocínio humano. O computador não consegue realizar um exame físico, ou sentir o seu nível de dor, ansiedade ou qualquer que seja ela com um olhar. 
  A medicina é complexa, por isso é preciso muito esforço para passar no vestibular, cursar a faculdade, fazer uma residência e terminar a formação. Confie no seu doutor.

Os fabricantes de dispositivos de fitness ou qualquer dispositivo com sensores relacionados com a saúde, geralmente são cuidadosos e r...