I M P O R T A N T E

As informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo a opinião ou conselho de seu médico.

domingo, 31 de julho de 2011

Fibrilaçao Atrial: novidades no tratamento



  A fibrilação atrial é um dos tipos mais frequentes de arritmia cardíaca. Ela é causada por um "descompasso" no funcionamento do sistema elétrico do coração. Esta alteração pode causar palpitações, batedeira no peito, sensação de "falha" nos batimentos além de outras queixas semelhantes. Um número grande de portadores de fibrilação atrial não sentem nada. O fato de não termos sintomas é muito bom porém não diminui o risco de que a fibrilação atrial possa causar complicações sérias.  
   Uma das suas complicações mais temidas é o derrame cerebral, uma doença que causa mais de 100 000 mortes por ano só no Brasil. Para enfrentar esta verdadeira calamidade os médicos procuram tratar as pessoas com esta arritmia utilizando anticoagulantes: medicações que deixam o sangue mais fino.
  Nos últimos 50 anos só existia uma medicação com esta finalidade. Apesar de funcionar bem, os pacientes deviam fazer uma ´serie de modificações no seu estilo de vida para que este remédio tenha efeito. O controle rígido do tipo de alimentação e a realização de exames de sangue semanais ou mensais são medidas fundamentais para que estas medicações tenham seu efeito controlado e seus efeitos colaterais reduzidos.
 Recentemente uma nova medicação está disponível e, provavelmente outras virão. As novas medicações não necessitam cuidados com a alimentação ou mesmo exames de sangue para seu controle. Tornam-se assim uma opção mais fácil de usar e segura  para a prevenção de derrames cerebrais. 
  Porém, nunca esqueça que qualquer mudança de medicação deve ser realizada apenas com o conhecimento e controle de seu médico.

4 comentários:

  1. Dr. Cidio, quais seriam esses remédios? Eu tomo amiodarona e não está resolvendo nada meu problema de fibrilação. Já passei por todos os outros, sotalol, atenolol, nem lembro do nome dos demais. Tenho episódios diários de fibrilação atrial. E meu coração é normal, é bem chato esse problema! Tenho receio da ablação por não ter estudos a longo prazo. Pelo que vejo muitas pessoas ficam com extrasistoles apos o procedimento ou mesmo que a arritmia retorna depois de um tempo. Obrigado! Luiz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luiz Fernando, como podes ler, existe um hotlink para o novo tipo de medicações já no mercado. A ablação para fibrilação atrial é um procedimento que já tem é realizada ha mais de 10 anos e existem grupos de portadores desta arritmia com alta possibilidade de cura. Converse com seu médico ou consulte um eletrofisiologista (médico especializado em arritmias cardíacas) para saber maiores detalhes. Obrigado pela visita.

      Excluir
  2. Ola Dr. Cidio, boa tarde, tudo bem?

    Muito obrigado por esse blog. Que bom que existem pessoas como o sr nesse mundo. Que o sr. tenha sempre muita saude e felicidade em sua vida.

    Li o seu blog inteiro e tenho duas duvidas. Se o sr puder responde-las eu lhe agradeco muito. Desculpe por escrever muito mas é que estou preocupado.

    Vou postar em dois comentarios porque há um limite de caracteres e a minha historia é um pouco longa..

    1 - A primeira pergunta é sobre os sintomas que eu sinto: tenho 30 anos e sou bastante ansioso. Em 2001 eu tive um ataque de panico e fui parar no hospital para tomar calmante. Esse fato me marcou muito e depois disso a minha vida nunca mais foi a mesma porque eu adquiri um medo constante de ocorrer algo com o meu coracao. Tem epocas em que estou mais tranquilo, como tem epocas em que fico com mais medo e ansioso.

    Ano passado foi um ano meio estressante pra mim, principalmente no primeiro semestre. E no segundo semestre ocorreu algo que nunca havia acontecido: a tal da 'paradinha'. Aconteceu ao deitar para dormir. Aconteceu varias vezes, numa sequencia. Meu coracao batia umas duas, tres vezes e depois dava uma paradinha. Depois de uns 5 minutos, passou tudo e voltou ao normal.

    Depois desse ocorrido eu marquei um cardio e fiz eletro, ergometrico e ecocardiograma. Com os resultados em maos, a minha cardio disse que eu podia ficar tranquilo porque eu tinha PVM e isso nao é doença e que mesmo que essas paradinhas ocorressem outras vezes eu poderia ficar tranquilo. Quando ela me disse isso eu ate chorei de alivio na frente dela. Ela disse que eu deveria procurar um psicologo porque esse medo e essa ansiedade estavam me atrapalhando muito. Apesar disso eu nunca fui em um psicologo porque nao conheco nenhum de confianca e tenho medo de passar com qualquer um e a pessoa querer me entupir de remedios fortes (eu odeio tomar remedio).

    Passados alguns meses depois desse ocorrido, eu comecei a sentir nesse ano outro sintoma que eu nunca havia sentido: uma pontada na garganta, na regiao do gogó. No começo eu achava que era relacionado a gases e refluxo porque fui diagnosticado por um otorrino com um leve caso de reflexo. Mas nos ultimos dias essas pontadas na regiao do gogó ficaram mais constantes e eu resolvi colocar o dedo no pescoço para medir o pulso e ver se nao tinha a ver com o coracao. E nao deu outra. Percebi que quando sinto essa pontada na garganta, eu tenho aquela 'paradinha' no coracao tambem. Mas diferentemente daquela outra vez, ela so ocorre uma vez e em períodos de tempo espaçados. Fiquei preocupado, fui pesquisar na internet e achei o vosso blog. Lendo todas as materias eu fiquei mais tranquilo porque essas paradinhas sao comuns em quem tem PVM e em quem é ansioso. Inclusive eu reparei que quando fico mais ansioso elas aumentam. Agora mesmo enquanto estou lendo e escrevendo sobre isso (o que me deixa com medo e ansioso) eu estou tendo algumas.

    E eu estou numa fase da minha vida um pouco complicada, com dificuldades financeiras e talvez seja isso tambem que desencadeou essa onda de paradinhas que tenho sentido mais recentemente.

    Eu nao sinto, graças a Deus, absolutamente mais nada. Apenas mesmo essa pontada no gogó e essas leves paradinhas. Nenhuma dor, nenhuma falta de ar, tontura, fraqueza, absolutamente nada nada mesmo. Mas essas pontadas tem me incomodado e me deixado com medo porque recentemente elas ficaram mais constantes. Ocorrem todo dia, as vezes varias e varias vezes ao longo do dia. Principalmente quando estou sentado trabalhando no computador! Sou muito atarefado e gosto de fazer varias coisas ao mesmo tempo, de não deixar nada pendente, etc.

    Posto tudo isso, vem a pergunta mais importante: posso ficar tranquilo que eu realmente nao tenho nada, que isso é normal, é benigno, reflexo do PVM e da ansiedade, ou eu deveria voltar ao medico para fazer nova avaliacao ja que as paradinhas tem acontecido com mais frequencia agora?

    Ou eu deveria na verdade finalmente ir atras de um psicologo?

    (continua no proximo comentario)...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. acredito que devas conversar com um profissional pois as diversas dúvidas que tens (4 postagens)sómente podem ser resolvidas em consulta médica.
      Obrigado pela visita.

      Excluir

Dia do portador de marcapassos

Em comemoração ao  Dia do Portador de Marcapasso , 23 de setembro, cardiologistas de todo o Brasil vão promover uma campanha orienta...