I M P O R T A N T E

As informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo a opinião ou conselho de seu médico.

sábado, 23 de julho de 2011

Arritmias e anticoagulação




 Durante a fibrilação atrial, a contração das câmaras superiores torna-se desorganizada, verdadeiramente caóticas, assim elas não se contraem para ejetarem o sangue para os ventrículos ( as câmaras de baixo do coração). As paredes dos átrios parecem tremer como gelatina.
  Nesta situação, o fluxo do sangue para os ventrículos é reduzido e o sangue estagna nos átrios. Quando o sangue deixa de se mover, tem tendência para formar coágulos. 
  E por que toda esta preocupação com os coágulos???
 Porque eles podem soltar-se e serem transportados pelo sangue até os vasos sanguíneos do cérebro. 
 Quando uma artéria no cérebro fica bloqueada por um coágulo, a parte do cérebro que receberia sangue por aquela artéria deixa de receber nutrientes, provocando então o acidente vascular cerebral, muito conhecido como derrame ou trombose cerebral.
 O papel dos remédios anticoagulantes é evitar o aparecimento destas complicações que podem provocar paralisias, diminuição da visão, dificuldades para deglutir, enxergar ou qualquer outro tipo de alterações a nível cerebral.
 Até pouco tempo existia apenas um tipo eficaz de anticoagulante comercializado. Novos remédios estão sendo lançados, mais seguros e mais fáceis de serem controlados.

Um comentário:

  1. UMA PESSOA COM FIBRILAÇÃO ATRIAL PODE FAZER CAMINHADAS?

    ResponderExcluir

Dia do portador de marcapassos

Em comemoração ao  Dia do Portador de Marcapasso , 23 de setembro, cardiologistas de todo o Brasil vão promover uma campanha orienta...