I M P O R T A N T E

As informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo a opinião ou conselho de seu médico.

domingo, 31 de julho de 2011

Fibrilaçao Atrial: novidades no tratamento



  A fibrilação atrial é um dos tipos mais frequentes de arritmia cardíaca. Ela é causada por um "descompasso" no funcionamento do sistema elétrico do coração. Esta alteração pode causar palpitações, batedeira no peito, sensação de "falha" nos batimentos além de outras queixas semelhantes. Um número grande de portadores de fibrilação atrial não sentem nada. O fato de não termos sintomas é muito bom porém não diminui o risco de que a fibrilação atrial possa causar complicações sérias.  
   Uma das suas complicações mais temidas é o derrame cerebral, uma doença que causa mais de 100 000 mortes por ano só no Brasil. Para enfrentar esta verdadeira calamidade os médicos procuram tratar as pessoas com esta arritmia utilizando anticoagulantes: medicações que deixam o sangue mais fino.
  Nos últimos 50 anos só existia uma medicação com esta finalidade. Apesar de funcionar bem, os pacientes deviam fazer uma ´serie de modificações no seu estilo de vida para que este remédio tenha efeito. O controle rígido do tipo de alimentação e a realização de exames de sangue semanais ou mensais são medidas fundamentais para que estas medicações tenham seu efeito controlado e seus efeitos colaterais reduzidos.
 Recentemente uma nova medicação está disponível e, provavelmente outras virão. As novas medicações não necessitam cuidados com a alimentação ou mesmo exames de sangue para seu controle. Tornam-se assim uma opção mais fácil de usar e segura  para a prevenção de derrames cerebrais. 
  Porém, nunca esqueça que qualquer mudança de medicação deve ser realizada apenas com o conhecimento e controle de seu médico.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Arritmias cardíacas é melhor prevenir e educar

Arrhythmia Alliance - The Heart Rhythm Charity


  As arritmias cardíacas podem trazer sérios problemas. A falta de esclarecimento quanto a seus riscos, opções de tratamento e mesmo apoio aos seus portadores tornam-se fundamentais para que o melhor tratamento seja realizado e a prevenção de complicações aconteça. Este blog surgiu com esta finalidade. Mas recentemente, em todo o mundo iniciaram campanhas de esclarecimento e ações para aumentar o conhecimento sobre este grave problema de saúde pública. Organizações não governamentais como a Arryhthmia Alliance atuam com esta finalidade. 
   Em seu site a ONG traz diversas ações que estão sendo realizadas com esta finalidade. Recentemente tive a honra de ser nomeado o representante desta associação no Brasil. Veículos como o foradoponto  continuarão a ser utilizados para disseminar o conhecimento e promover o entendimento sobre as alterações do ritmo do coração, seus tratamentos, seus riscos e a sua prevenção. Em breve teremos muitas novidades...
   Wellcome Trudie,
   Bem vinda a bordo Arrhythmia Alliance!

sábado, 23 de julho de 2011

Arritmias e anticoagulação




 Durante a fibrilação atrial, a contração das câmaras superiores torna-se desorganizada, verdadeiramente caóticas, assim elas não se contraem para ejetarem o sangue para os ventrículos ( as câmaras de baixo do coração). As paredes dos átrios parecem tremer como gelatina.
  Nesta situação, o fluxo do sangue para os ventrículos é reduzido e o sangue estagna nos átrios. Quando o sangue deixa de se mover, tem tendência para formar coágulos. 
  E por que toda esta preocupação com os coágulos???
 Porque eles podem soltar-se e serem transportados pelo sangue até os vasos sanguíneos do cérebro. 
 Quando uma artéria no cérebro fica bloqueada por um coágulo, a parte do cérebro que receberia sangue por aquela artéria deixa de receber nutrientes, provocando então o acidente vascular cerebral, muito conhecido como derrame ou trombose cerebral.
 O papel dos remédios anticoagulantes é evitar o aparecimento destas complicações que podem provocar paralisias, diminuição da visão, dificuldades para deglutir, enxergar ou qualquer outro tipo de alterações a nível cerebral.
 Até pouco tempo existia apenas um tipo eficaz de anticoagulante comercializado. Novos remédios estão sendo lançados, mais seguros e mais fáceis de serem controlados.

domingo, 17 de julho de 2011

Afinar o sangue ?






  
  A coagulação do sangue é um processo complexo, pois ele deve permanecer líquido o suficiente para levar nutrientes para todo organismo mantendo a capacidade de coagular rapidamente para evitar sangramentos.
  Existem muitas doenças em que o uso de remédios para diminuir a coagulação é muito importante. Porém, antes demais nada vamos entender o que é a coagulação do sangue.
 Quando ocorrem sangramentos ou mesmo inflamações nosso organismo ativa vários circuitos para estancar ou ao menos diminuir a sua severidade. Talvez o mais rápido seja a ativação de um grupo de pequenas células sanguíneas chamadas de plaquetas. Elas imediatamente colam nas rupturas dos vasos, tornam-se viscosas e agregam-se. Quando isto acontece, mais e mais plaquetas ativam-se, aumentando ainda mais a sua agregação procurando estancar o sangramento.
  Junto inicia-se outro processo, dentro das células vermelhas do sangue nas quais uma substância chamada de trombina provoca várias transformações as quais resultam na formação de fibrina, que forma uma rede que une como uma rede os glóbulos vermelhos.
 Esta cascata de eventos é fundamental para a sobrevivência, sem isto uma simples picada de mosquito poderia ser fatal. Existem algumas doenças do sangue em que hereditariamente a coagulação não funciona bem. Alguns tipos de câncer ou mesmo medicações podem também ocasionar problemas.
  Porém, em muitos casos devemos diminuir a capacidade de coagulação ("afinar")  do sangue para prevenir ou mesmo tratar doenças. A fibrilação atrial, uma das arritmias mais frequentes, é uma das situações que  leva os médicos a receitarem anticoagulantes ou anti-agregantes plaquetários.
   Porque? 

   Veremos no próximo post.
  

domingo, 10 de julho de 2011

Fibrilação atrial: o principal problema é a falta de informações



  
   A fibrilação atrial é uma arritmia (descompasso do coração) que aflige milhões de pessoas levando a sérios riscos principalmente derrames (AVCs). Talvez devido a quantidade de pessoas afligidas ou mesmo devido a falta de informações adequadas, muitos médicos ainda não dão a devida importância a este problema de saúde pública: a fibrilação atrial é a arritmia que mais internações provoca, levando a um gasto de dezenas de milhões de reais, principalmente devido as suas complicações.
  A mais temida é o chamado de derrame cerebral (AVC), que pode levar a paralisias e diversos tipos de problemas no cérebro.
   Informações importantes tem surgido tanto na Internet como na midia em geral sobre este problema e seus tratamentos, por exemplo:
     -  80% dos médicos americanos acreditam que a fibrilação atrial é uma doença importante mas apenas 30 % dos pacientes tem esta impressão;
    -   Existe uma diferença média de quase dois anos entre o paciente relatar  suas queixas e o médico descobrir a doença.
   -  90% dos profissionais de saúde relataram que discutiram com seus pacientes os riscos da doença mas apenas 43 % dos pacientes lembram-se disto.
  Diferentes perspectivas sobre o mesmo (e sério) problema. Este descompasso de informações é um risco e ao mesmo tempo um aviso, ainda mais quando novas medicações e técnicas existem para o tratamento e prevenção das complicações desta temível arritmia.
   A fibrilação atrial é uma doença de alto risco e, mesmo aqueles diretamente interessados não estão adequadamente informados pois os profissionais de saúde não estão conseguindo sensibilizar os pacientes. A internet pode ser excelente auxiliar para a educação e sensibilização dos clientes mas não substitui uma boa conversa com seu médico. 
  Caso voce esteja interessado, este é o link para algumas das postagens sobre o assunto.

domingo, 3 de julho de 2011

Síndrome do pânico: e o coração II

O portal da Globo publicou há algum tempo este esquema bem explicativo. Mostra as manifestações mais frequentes da doença do pânico assim como as suas causas.



Os fabricantes de dispositivos de fitness ou qualquer dispositivo com sensores relacionados com a saúde, geralmente são cuidadosos e r...