I M P O R T A N T E

As informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo a opinião ou conselho de seu médico.

domingo, 5 de junho de 2011

Desmaios: o que fazer?


  Uma das mais freqüentes causas de atendimento em salas de emergência é o desmaio de causa não acidental. Sempre assustador e sempre envergonhando, o desmaio, também chamado de síncope, não deve ser causa de pânico. Uma em cada cinco pessoas desmaia pelo menos uma vez na vida. Muitas podem ser as causas  e nem sempre é possível descobrir a causa da perda dos sentidos. Muitos acreditam  que um problema neurológico (do cérebro) pode ser a causa da síncope, mas isto não é frequente. O avanço da medicina moderna permite que o médico consiga descobrir o diagnóstico e orientar o tratamento de um número cada vez maior de doenças.
  Mais de uma centena de doenças pode levar ao surgimento de síncope mas, na grande maioria das vezes a origem é do coração ou do sistema circulatório. 
  Em situações normais, quando uma pessoa está de pé ou sentada, os músculos das pernas se contraem, fazendo com que o sangue que está nas veias seja impulsionado para dentro do coração e daí bombeado para o restante do organismo.
  Algumas pessoas esta resposta pode ser alterada, tanto pelo surgimento de pressão baixa e/ou batimentos mais lentos (bradicardia). Esta alteração provoca a diminuição da quantidade de sangue que chega ao cérebro.
  Inicialmente a pessoa pode sentir tonturas, suor, palpitação, náusea e caso não deite, pode perder a consciência (síncope).
  Esta situação ocorre com mais frequência após a execução de exercício intenso, calor, stress, ingesta excessiva de bebida alcoólica medo ou quando a pessoa se mantém  de pé durante muito tempo.
  Usualmente, no momento em que o paciente deita e que as pernas ficam no mesmo nível que a cabeça, o retorno da passagem de sangue pelo cérebro faz com que haja recuperação instantânea.
  Mas que fazer quando uma pessoa desmaia?

  1- Ter certeza que a pessoa está respirando e o coração batendo.Caso não tenha certeza, peça ajuda e inicie as manobras para reanimação.

  2- Se a pessoa esteja fazendo movimentos involuntários (convulsões) evitar que ela se bata ou se machuque.

  3- Mantenha o local arejado e evite aglomerações.

  4- Vire a cabeça de lado para evitar asfixia ou vômitos.

  5- Para aumentar o fluxo de sangue para o cérebro eleve as pernas, normalmente apenas esta manobra já faz com que seja recuperada a consciência.

  6- Não dê líquidos ou alimentos até haver recuperação completa.

  7- Pergunte se a pessoa tem alguma doença cardíaca ou cerebral, necessita de alguma medicação especial ou se deve avisar algum familiar ou médico.

  8- Mesmo após haver recuperação completa, auxilie a pessoa a levantar-se devagar e sentar um pouco.

  Auxilie a pessoa a procurar auxílio médico após a recuperação. Lembre-se que o seu auxílio pode ser fundamental para o bem estar e até mesmo a sobrevivência de alguem que desfalece a seu lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Casado(a)? Sua chance de morrer por doença do coração pode ser menor!

Pessoas com doença cardíaca  casados apresentam menor risco de morte por doenças do coração assim como de outras doenças do que os não...