I M P O R T A N T E

As informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo a opinião ou conselho de seu médico.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Meu coração está disparando


 A sensação de disparo do coração, ou coração batendo rápido são algumas das maneiras mais frequentes de descrever as palpitações. Você pode simplesmente ter uma sensação desagradável causada pelas batidas, sentir um batimento mais fraco ou mesmo uma "falhadinha".

 As palpitações podem ser sentidas como batimentos no peito, garganta ou pescoço ou até mesmo nos braços. 

 Normalmente, nosso coração bate de 60 a 80 vezes por minuto em repouso. Em pessoas que se exercitam regularmente ou utilizam medicamentos que diminuem os batimentos, a frequência pode baixar e não ser sinal de doença. Se sua frequência cardíaca é rápida (acima de 100 batimentos por minuto) em repouso, os médicos chamam de taquicardia.  Realizar atividade física, incomodar-se, tomar muito café e até mesmo fumar podem aumentar a frequência cardíaca. Existem substâncias que também podem provocar taquicardia como remédios para emagrecer e energéticos. 
 Pessoas com síndrome do pânico seguidamente apresentam algum tipo de arritmia usualmente sem riscos.

 A diminuição da frequência cardíaca é chamada de bradicardia. Durante o sono ou repouso é normal a frequência do coração ficar mais baixa, ainda mais em jovens. 
 Um batimento cardíaco ocasionalmente fora do compasso, mais forte ou um uma "falhadinha" pode levar a desagradável sensação de palpitações que, em sua grande maioria não são graves. Em alguns casos elas podem representar alterações dos batimentos cardíacos: arritmias. As causas mais comuns de palpitações do coração são:atividade física intensa ou além da habitual, anemia, stress, ansiedade, medo, cigarro, uso de bebida alcoólica, energéticos, café, chá e até mesmo o chimarrão. Algumas pessoas são mais sensíveis portanto o mesmo estímulo pode ou não causar palpitações.
Medicamentos, incluindo aqueles usados para tratar doenças da tiróide, asma, pressão alta e muitos remédios para emagrecer frequentemente causam palpitações.

Reduzir a ingestão de café, reduzir significativamente as palpitações assim como controlar o stress e a ansiedade Tente fazer exercícios de respiração ou relaxamento profundo quando sentir palpitações. Praticar ioga pode reduzir a freqüência de suas palpitações. Mantenha um registro de quantas vezes você tem palpitações, quando acontecem, quanto tempo duram, sua freqüência cardíaca no momento da palpitações, e que você está sentindo no momento. Esta informação pode ajudar seu médico descobrir a causa e, se necessário o tratamento para seu problema. Se você notar um aumento repentino da arritmia, tonturas, dor no peito ou mesmo desmaios entre em contato com seu médico imediatamente pois pode, em alguns casos, necessitar de tratamento.

As informações contidas no blog não substituem a consulta médica.
Outras postagens

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

O coração da mulher pode correr mais riscos do que o coração do homem.


Cada vez mais os assuntos do coração preocupam a todos. De longe, a doença cardíaca é o assassino número 1 no Brasil e os riscos do coração da mulher aumentam cada vez mais.  Na verdade, mulheres que tem ataques cardíacos antes dos 50 anos tem o dobro da mortalidade dos homens nas primeiras semanas após o infarto.
Apesar de alguns fatores de risco de doença cardíaca, como história familiar e envelhecimento, não são controláveis, as mulheres podem fazer alterações de estilo de vida para reduzir seu risco de doença cardíaca. Existem algumas dicas para as mulheres começaram a cuidar da saúde do seu coração:

1. Arranje tempo para si mesmo. Muitas vezes as mulheres tem diversas compromissos ao mesmo tempo; coisas como cuidar dos filhos, da casa, do trabalho, das compras e diversas outras. Dê-se permissão para pensar sobre suas próprias necessidades, e tomar o tempo para proteger a sua própria saúde.
2. Exercite-se regularmentePequenos ajustes no seu nível de atividade física  como ir a pé para o trabalho ou as compras, usar as as escadas em vez do elevador podem ter um impacto significativo.
3.  Cigarro, o grande vilãoFumar aumenta o risco de doença cardíaca. Todos conhecem os riscos do cigarro porém poucos param de fumar. Esta é uma decisão difícil mas com um grande impacto em sua vida. Mudanças no estilo de vida podem ajudar nesta decisão. Preste atenção nos seus hábitos, se você sempre acende um cigarro quando toma café, diminua ou pare de tomar café. É bem conhecido que a prática de exercícios físicos ajuda na interrupção do cigarro. Preste atenção a seus familiares, eles querem o seu bem.
4. Mantenha uma dieta saudávelComa mais frutas frescas e vegetais, peixes e alimentos integrais. Reduzir os alimentos ricos em colesterol e sódio. Um estudo recente descobriu que mulheres que comem verduras e saladas, como espinafre cozido, e usar azeite em vez de manteiga tiveram menor probabilidade de desenvolver doenças cardíacas. Sua família também irá beneficiar destas mudanças para uma dieta saudável em casa.
5. Preste atenção na balança.. Estar com sobrepeso ou obesidade é um fator de risco significativo para doença cardíaca e pode levar a outros problemas de saúde como a diabetes. Perder peso é dificil, mas a definição de objetivos reais pode ajudar.Não adianta colar na porta da geladeira a foto da Gisele Bunchen.  Mesmo uma pequena  perda de peso,  5 por cento do seu peso corporal total  tem benefícios de saúde importantes.
6. Cuide do colesterolO controle do colesterol é realmente importante para a saúde. O tipo "ruim"  (LDL)  é um grande risco para a doença cardíaca. Os níveis de colesterol podem ser controlados por ingestão de alimentos com baixo colesterol  e de gordura saturada e ricos em "bom" colesterol (HDL). Tenha certeza de ter exames de colesterol normal.
7. Conheça os riscos do diabetes ("açúcar no sangue").  Familiares próximos (pais tios, irmãos) com diabete podem multiplicar a chance desta doença de alto risco. Não vacile, procure um médico e cuide bem de sua alimentação.
8. Pressão alta. É um grande risco pois aumenta o trabalho do coração e pode danificar as artérias de todo o corpo. É uma das maiores causas de derrames cerebrais, insuficiência renal e outras doenças sérias. Tire o saleiro da mesa, o sal colocado durante o preparo da comida é suficiente.


Estas dicas podem modificar a maneira como você está vivendo hoje mas com certeza vão fazer a sua vida mais longa e com melhor qualidade !

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Mas afinal, o que é stress?





Apesar de utilizarmos esta palavra várias vezes ao dia, não existe uma definição absoluta. De maneira genérica pode-se dizer que é um estado de desequilíbrio e a resposta do organismo a ela. Esta resposta pode ser desde um mal-estar, dilatação das pupilas, ansiedade, palpitações e até mesmo um ataque cardíaco ou morte súbita. Segundo o dicionário Aurélio o estresse (em bom português) é "o conjunto de reações do organismo a agressões de ordem física, psíquica, infecciosa, e outras capazes de perturbar a homeostase" (equilíbrio). O stress faz parte da nossa rotina, ele que nos mantém atentos. O toque do despertador, a agua fervendo, o cheiro de comida queimada, o chefe gritando, enfim todos nós passamos por diferentes níveis de stress todos dias.

Obviamente, as pessoas respondem de forma diferente aos diferentes tipos de stress. 
Na verdade, o grande problema não é o stress propriamente dito e sim a maneira como reagimos a ele. Existem diversas maneiras de classificar a maneira como respondemos ao stress, a mais fácil é a divisão dos tipos de personalidade em A e B.

As pessoas com personalidade do tipo A (sensíveis ao tempo, o sentido, impaciente crônica de urgência, tendência à hostil idade e raiva, competitivos) apresentam maior risco para doença cardíaca do que pessoas com personalidade tipo B (paciente, discreto, não-competitivo). Em outras palavras, dada a mesma situação de estresse, alguns vão responder com a frustração e a raiva, a pressa da adrenalina e do modo de luta ou fuga, e alguns vão reagir de uma forma muito mais equilibrada.

É por isso que o conselho comum muitas vezes se ouve dos médicos para "evitar o stress" é tão inútil. Ninguém pode evitar todo o stress completamente sem abandonar a sociedade e se tornar um monge. Além disso, as personalidades tipo A criam as suas próprias situações estressantes, não importa o que estejam ou o que estão fazendo, por exemplo. Frases tipo "O mundo está cheio de incompetentes, cujo único propósito é ficar no meu caminho e perder meu tempo." são comuns na personalidade A

Se você tem este tipo de mentalidade, não adianta sair de casa, se aposentar, trocar de emprego, ou mudar para a praia. O stress ainda estará lá pois ele vem com você. A reduzir dos níveis de stress só é possível quando aprendemos a conviver com ele. A personalidade tipo B sabe fazer isto.


Resumo

Embora o stress emocional está claramente relacionado à doença cardíaca,nem sempre pode ser evitado, e não todo ele é "ruim".  Como você responde ao stress é extremamente importante para determinar o risco o estresse que você  impõe a seu coração.


Atenção: um médico deve ser procurado para esclarecer toda e qualquer dúvida sobre a presença de doenças. A internet é apenas um guia, nunca um substituto para uma consulta.

Os fabricantes de dispositivos de fitness ou qualquer dispositivo com sensores relacionados com a saúde, geralmente são cuidadosos e r...