I M P O R T A N T E

As informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo a opinião ou conselho de seu médico.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Morte de ente querido pode provocar arritmias

Nos meses seguintes à morte de um cônjuge ou um filho, o cônjuge sobrevivente ou os pais enfrentar um maior risco de ataque cardíaco ou morte súbita devido a um aumento da freqüência cardíaca, conforme sugerem novas pesquisas médicas.

"Embora o foco no momento de luto é naturalmente voltada para a pessoa falecida, a saúde e o bem-estar dos sobreviventes enlutados também deve ser motivo de preocupação para os profissionais médicos, bem como familiares e amigos," conforme  o autor do trabalho divulgado pela  American Heart Association.

"Alguns enlutados", acrescentou ele, "especialmente aqueles que já apresentam um risco cardiovascular aumentado, podem beneficiar-se de uma visita a seu médico".
Já sabíamos que o stress causado pela perda de um ente querido pode causar comprometimento cardíaco.  Este estudo mostra que existe uma dimensão maior pois o risco diminui com o tempo, provavelmente devido a um aumento temporário na incidência de stress e depressão.
O estudo foi feito analisando 78 cônjuges ou pais enlutados durante os primeiros seis meses após a perda. A freqüência cardíaca e as arritmias  foram rastreados com monitores de 24 horas, enquanto que as flutuações no início de depressão e ansiedade foram documentados. Os resultados foram então comparados com as condições médicas de um grupo de homens e mulheres que não tinham experimentado a perda de um ente querido.

O grupo de pacientes em luto tiveram o dobro do número de episódios de aceleração do coração nas semanas imediatamente após a perda. 

Enquanto isso, os níveis de depressão inicialmente parecia ser mais de quatro vezes maior entre os enlutados. Estas taxas começaram a cair depois de 6 meses, mas eles ainda eram três vezes superiores aos níveis encontrados entre os participantes não luto.

Estes achados apontam para a relação entre causas psicossociais e alterações dos batimentos cardíacos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Casado(a)? Sua chance de morrer por doença do coração pode ser menor!

Pessoas com doença cardíaca  casados apresentam menor risco de morte por doenças do coração assim como de outras doenças do que os não...