Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2009

Parada Cardiaca e reanimaçao pelo juiz em jogo de hoquei

Um árbitro sueco de hóquei no gelo transformou-se num herói nacional, depois de ter salvo a vida de um jogador, em plena pista de gelo. 
Veja o vídeo.
Durante um jogo da Liga sueca um jogador do Onebro HK, Niklas Lihager, caiu, ao sofrer uma parada cardíaca.
Antes da entrada da equipa médica, um dos árbitros, Wolmer Endqvist, realizou as manobras de reanimação que salvaram o jogador, o qual foi transportado já consciente para hospital
O juiz Endqvist  relatou que valeu-se da experiência de ter trabalhado como socorrista em ambulâncias.


Desfibrilador implantavel salva vida durante debate na TV

Em um debate durante o comentado encontro de diversos paises sobre as alterações climáticas em Copenhagen (Cop15), um cientista dinamarquês (Henrik Svensmark) apresentou um episódio de arritmia maligna que potencialmente levaria a morte súbita e foi salvo por choque de desfibrilador implantavel. 
Vale a pena lembrar que o cientista não teve um ataque cardíaco, e sim uma arritmia, situação de risco e de origem relacionado a alterações elétricas no coração.
Após foi levado a atendimento hospitalar e, com as condições estáveis teve alta para casa.



Síncope; o que é e o que fazer

Imagem
O avanço da medicina moderna permite que o médico consiga descobrir o diagnóstico e orientar o tratamento de um número cada vez maior de doenças.
   Uma das mais freqüentes causas de atendimento em salas de emergência é o desmaio de causa não acidental, também chamado de síncope.
   Mais de uma centena de doenças pode levar ao surgimento de síncope mas, na grande maioria das vezes a causa é de origem cardíovascular. 
  Em situações normais, quando uma pessoa está de pé ou sentada, os músculos das pernas se contraem, fazendo com que o sangue que está nas veias seja impulsionado para dentro do coração. A resposta esperada do coração é que haja um discreto aumento da pressão arterial e da frequência cardíaca para bombear esta quantidade maior de sangue que está circulando.
 Em algumas pessoas esta resposta pode ser alterada, tanto pelo surgimento de pressão baixa e/ou batimentos mais lentos (bradicardia). Este fenómeno provoca uma diminuição da quantidade de sangue que chega ao coração e daí…

Obesidade e pressão alta aumentam o risco de fibrilação atrial

Imagem
   Investigadores europeus publicaram em novembro de 2009 em respeitada revista médica americana resultados de uma pesquisa que demonstrou que tanto a obesidade como a hipertensão aumentam o risco de crescimento dos átrios, trazendo consigo uma maior incidência de fibrilação atrial. Acompanhando um grupo de 1200 pessoas durante dez anos, os investigadores concluíram que qualquer um dos dois fatores provocam aumento do risco, sendo a obesidade o mais importante. 
   Este estudo confirma achados de estudos já realizados que demonstram que o aumento do indice da massa corporal (IMC) está correlacionado ao aumento das cavidades (átrios) cardíacas .
   Estes achados são complementados por outro estudo, publicado em dezembro 2009 que mostra que mesmo uma moderada redução de peso em pacientes obesos melhora a função cardíaca.
Calcule seu IMC

Para que serve o eletrocardiograma

Imagem
Nosso coração funciona para bombear o sangue para todo o organismo. Para exercer esta função de maneira efetiva, as suas células são interligadas por um sistema elétrico que possui o equivalente a usinas, transformadores e linhas de transmissão.
   Assim, cada batimento cardíaco inicia-se com um estímulo elétrico na região chamada de nó sinusal, é transmitida pelas câmaras superiores (átrios) até chegar a uma região que filtra a energia e transmite para as câmaras inferiores, chamadas de ventrículos. Daí o sangue é transmitido para todos os orgãos pelas artérias.
   Esta atividade elétrica organizada permite que o coração receba e impulsione o sangue aproximadamente 100 000 vezes por dia. 
   O estudo desta atividade elétrica é muito importante pois suas alterações podem ser sinal da presença de doenças cardíacas. Esta avaliação pode ser feita por diversos exames sendo que o eletrocardiograma (ECG) é o mais usualmente realizado. Neste exame, cada batimento é decodificado em uma série de …