I M P O R T A N T E

As informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo a opinião ou conselho de seu médico.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Monitorização dos batimentos do coração - Holter



A monitorização dos batimentos cardíacos é normalmente realizada durante a realização de um eletrocardiograma, com duração de aproximandamente 30 segundos. Diversas alterações podem ser diagnosticadas neste curto período, em repouso. Nossa rotina diária não é feita apenas de momentos de repouso, fazemos as mais diferentes atividades durante o dia e nosso coração responde de maneira diferente a cada uma delas.Tipos de monitorização


Como o exame é realizado?

O eletrocardiograma ambulatorial permite que as batidas do coração sejam acompanhadas todo o dia. Assim, podemos relacionar os batimentos do coração com as atividades e com eventuais sintomas durante o período da gravação. As alterações do ritmo do coração são as alterações mais frequentemente encontradas, nem sempre associadas a sintomas.

Existem tres tipos de monitorização prolongada dos batimentos cardíacos: monitorização contínua (24 a 48 hs), a monitorização intermitente (monitor de eventos) e o monitor de eventos implantável.

A monitorização contínua (Holter) é realizada com a colocação de eletrodos-adesivos no tórax que são conectados a um gravador colocado na cintura. Durante o exame todas as atividades de rotina podem ser executadas com excessão do banho. Usualmente o paciente recebe um diário no qual deve anotar caso sinta alguma coisa durante o exame. Após a retirada do aparelho o exame é analizado e as arritmias são avaliadas e as anotações do diário são correlacionadas  com o eventual surgimento de sintomas.

A monitorização intermitente não grava todos os batimentos. Sómente são armazenados na memória de 30 a 60 segundos segundos anteriores ao acionamento do aparelho ou seja, após o aparecimento de sintomas. Existem vários tipos diferentes de aparelhos e em muitos não deles não é necessário o uso de eletrodos, podendo o próprio aparelho encostado no tórax sentir os batimentos do coração e após, via telefone, transmitir o traçado para uma central. Talvez sua maior vantagem seja em situações em que os sintomas não sejam frequentes.

O monitor implantável de eventos é um equipamento pequeno (aprox 2 cm) que é colocado embaixo da pele e armazena as batidas do coração por até um ano. Ele pode ser programado de diversas maneiras como por exemplo, gravar quando os batimentos caem abaixo (bradicardia) de determinado valor ou ainda quando estão acima (taquicardia) passam do valor programado.

sábado, 26 de setembro de 2009

Como viver menos 10 anos?


 Homens de 50 anos que fumaram, tem hipertensão arterial e colesterol elevado por pelo menos dez anos podem ter uma dramática redução até 10 anos na expectativa de vida, conforme estudo publicado no Britsh Medical Journal.

 Este importante estudo acompanhou um grupo de 19 000 funcionários públicos ingleses desde 1967. No início da avaliação, 42 % dos homens eram fumantes, 39 % tinham pressão alta e 51 % possuíam colesterol elevado. Durante o seguimento do estudo, houve importante redução no número das tres variáveis. Apesar da redução ao longo do tempo, aqueles que tinham história fumo, hipertensão ou de colesterol alto tiveram risco tres vezes maior de eventos vasculares, inclusive óbito.

 Ou seja, os danos causados pela exposição aos reconhecidos fatores de risco para o surgimento de doenças cardíacas não cessam com a simples interrupção do hábito. A prevenção é necessária para evitarmos esta verdadeira epidemia de doenças cardiovasculares que estamos vivendo.


As informações contidas neste ou qualquer outra fonte online não substituem a visita a seu médico.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Como bate o coração



A função primordial do coração é impulsionar o sangue para todo o organismo. Esta função de "bomba" só é possível porque ele se movimenta de maneira organizada diversas vezes por minuto. Cada movimento é chamado de batimento cardíaco. Para que este batimento consiga impulsionar o sangue, é necessário que exista um sincronismo entre todas as fibras musculares que compõe o coração. Este sincronismo é possível graças a um sistema elétrico que gera e transmite o sinal para todo o coração. Este estímulo pode ser registrado até mesmo na pele com a utilização de um eletrocardiograma. A contagem do número de estímulos é chamada de freqûencia cardíaca e é medida por batimentos por minuto (bpm), sendo que o normal ém repouso é de 60 a 90 bpm regulares  A transmissão deste estímulo para as fibras musculares provoca a contração que é chamada de sístole, ou batimento cardíaco.

O impulso elétrico é gerado em uma pequena área do coração chamada de nó sinusal, localizada na porção superior direita do coração. Após ele provoca a contração das câmaras superioras (átrios) e é transmitido por apenas uma via para as câmaras inferiores (ventrículos). A contração dos ventrículos impulsiona o sangue para todo o organismo.

domingo, 20 de setembro de 2009

Viagra e o coração



A disfunção erétil sempre foi um dos maiores medos do homem.  Medicações como o Viagra (Sildenafil), Cialis (Tadalafil) e Levitra (Vardenafil)  modificaram a história fazendo um número interminável de casais mais felizes.
Muito tem se dito e escrito sobre o risco do uso destas medicações em portadores de doenças cardíacas.  Vamos tentar esclarecer alguns aspectos sobre este tema.
Estas três medicações atuam da mesma maneira, diminuindo a ação da enzima que causa o relaxamento peniano.  Em outras palavras,  quanto menos enzima,  mais prolongada a ereção.
São drogas que provocam a dilatação das veias e podem, como conseqüência, provocar uma diminuição da pressão. Na imensa maioria dos portadores de doença cardíaca, inclusive aqueles com pressão alta em tratamento, esta alteração da pressão não causa problemas.
Porém, além do efeito na pressão arterial, estas drogas interagem com outra classe de medicamentos muito frequentemente utilizada: os nitratos (mais comuns: Isordil, Sustrate, Isocord, Monocordil).
Estas são medicações vasodilatadoras muito importantes e utilizadas pelos portadores de obstrução nas artérias do coração (coronárias).
A combinação destes dois tipos de remédios pode levar a queda de pressão e até mesmo desmaios. É importante lembrar que existem diversos tipos de remédios para tratar as obstruções coronárias.
Portando, aqueles que utilizam drogas vasodilatadoras como parte de seu tratamento, só devem utilizar Viagra ou similares após conversar com seu médico.

Muitas pessoas tem dúvidas sobre tratamentos pessoais ou de familiares, as quais não serão respondidas pela internet. 
Nenhuma consulta a internet substitui uma consulta a seu médico.

Causas de Morte Súbita em atletas



As causas mais comuns de óbitos em atletas foram estudadas e a grande maioria está vinculada a doenças cardiovasculares.  Nos atletas mais velhos, a presença de obstruções das artérias coronárias (que nutrem o coração) é a causa mais frequente. 
Em jovens, a causa mais comum é a miocardiopatia hipertrófica que é uma doença genética caracterizada pelo espessamento de uma parte (septo) do músculo cardíaco. A pesquisa médica  já demonstrou que diversos genes isolados em em conjunto podem estar apresentar alterações que levam a esta doença.  Esta situação clínica que era anteriormente denominada de miocardiopatia septal assimétrica pode levar a duas consequências igualmente letais:
    - o crescimento do músculo é severo a ponto de impedir a saída de sangue do coração;
    - a ocorrência de arritmias fatais que potenciamente levam a morte súbita.
Esta miocardiopatia pode ser usualmente diagnosticada com a realização de 2 exames simples: um eletrocardiograma associado a um  ecocardiograma.

Anomalias das artérias coronárias
As alterações anatômicas das artérias coronárias são a segunda causa congênita mais frequente de morte súbita em atletas. A artéria chamada de descendente anterior é a mais frequentemente afetada.
Outras 15 doenças causam aproximadamente 20 % das mortes, dentre elas:
- ruptura de aneurisma de Aorta;
- displasia arritmogênica de ventrículo direito;
- taquicardia supraventricular (Wolf-Parkinson-White);
- Miocardiopatias;
- alteraçoes elétricas congênitas (Síndrome de Brugada  e Síndrome do Q-T longo)
- miocardites e
- doenças valvulares.

Cada uma destas situações é responsável por uma pequena percentagem de ocorrências e seu diagnóstico representa um desafio na ausência de sintomas. A simples presença de uma destas alterações não representa uma contra-indicação para atividade física. O especialista deve fazer exames especializados para avaliar o risco do paciente.
É importante lembrar que existem causas não cardíacas que podem levar a parada cardíaca, sendo as mais frequentes:
- crise de asma;
- uso inadequado de medicações, especialmente para o controle de crise asmática;
- reações alérgicas severas;
- hipertermia maligna e
- trauma no tórax ou cabeça.
O consumo de drogas tem sido cada vez mais frequente nos jovens e diversas mortes sendo responsável por um crescente número de óbitos sendo mais as mais comuns:
- Cocaina
- Anfetaminas
- Anabolisantes
- Álcool
- Energéticos.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Função ideal de um plano de saúde



Para que um plano de saúde seja efetivamente um partícipante ativo e comprometido com a promoção da saúde alguns pré-requisitos são fundamentais:


1- Fornecer informações para pacientes e provedores
   a- organizar o sistema de prestadores visando os melhores resultados e não a proximidade geográfica;
   b- manter pacientes bem informados sobre seus diagnósticos, tratamentos e maneiras de prevenir doenças;
   c- informar adequadamente os médicos sobre os prestadores de serviço com relação a qualidade do tratamento, custos e resultados;
  d- utilizar todos os meios de comunicação possíveis para prevenir doenças;
  e- comunicar-se com o cliente entendendo suas necessidades e saus caracteristicas de saúde e atuar nelas.
2- Aprimorar o relacionamento com os prestadores de serviço
  a- manter o credenciamento apenas dos serviços que aderirem aos conceitos de prevenção da saúde.
  b- Incentivar a excelência de processos de gestão em todos provedores de serviço;
  c- facilitar o processo de autorização e faturamento visando uma diminuição de custos, permitindo que toda a atenção seja focada no cliente;
  d- participar da adoção de medidas de prevenção dentro das equipes dos prestadores de serviço;
  e- promover processos e protocolos de atendimento médico padrões;
  f-  facilitar o acesso as informações sobre os clientes visando agilizar o atendimento e diminuir custos para o sistema.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Coração: nem tudo é doença

Nem tudo que se comenta sobre coração é doença !
De acordo com o site http://www.portaisdamoda.com.br/  as estampas de coração são uma tendência da moda verão 2010 !
Resumo:
"Uma mini tendência que já apareceu nas passarelas internacionais nas últimas estações promete conquistar mais adeptas nessa temporada de calor; são os delicados corações que tecidos e acessórios bem modernos.

Grandes grifes já exploraram essa tradicional forma. Versace e Balenciaga estão entre as que investiram recentemente no símbolo dos apaixonados para adornar suas criações. Para atualizar esse clássico, surgiram roupas com corações levemente deformados, com volumes, sobreposição de aviamentos e recortes exibindo seu contorno."

Leia mais

Consumo excessivo de café aumenta o risco de arritmias


Um novo estudo apresentado este mes no congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia, sugere que o consumo excessivo de café sem uma alimentação saudável, aumenta os riscos de fibrilação atrial, uma das formas mais comuns de distúrbio no ritmo cardíaco (arritmias), a qual é responsável por um expressivo número de derrames e outros problemas cardiovasculares.


Anteriormente, vários estudos já sugeriam que o consumo de café pode trazer muitos benefícios para a saúde, incluindo a prevenção a problemas cardíacos e à doença de Alzheimer.

Mas, pesquisadores notaram que os pacientes que tiveram mais arritmia (fibrilação atrial) além de tomarem mais café, não seguiam uma dieta considerada saudável: a dieta mediterrânea.  Esta dieta tem como característica ter ser rica em frutas, hortaliças, peixe, grãos integrais e azeite de oliva. e consumiam a maior parte de seus antioxidantes através do café.
O grupo de pacientes que apresentou mais arritmias tinha como principal fonte de antioxidantes produtos de origem animal (carne vermelha e laticínios)
Os resultados da pesquisa mostram que os maiores bebedores de café tinham mais chances de ter fibrilação atrial do que aqueles que consumiam menos cafeína.

O estudo sugere que o consumo excessivo de café aumenta o risco de arritmias em pessoas sem doença cardíaca aparente.

domingo, 13 de setembro de 2009

Medida do pulso (batimentos cardiacos)



Porque verificamos a frequência cardíaca segurando o pulso?





Cada batimento cardíaco gera uma onda de pressão que é transmitida pelas artérias a todo o organismo. Estas artérias podem ser sentidas em várias partes do corpo. Com maior facilidade podemos sentir no pulso, (artéria radial), na região temporal (na frente dos ouvidos, acima da articulação da mandíbula) e no pescoço (artéria carótida). 

Seu pulso é a sua freqüência cardíaca e esta varia muito porém, normalmente em repouso, os valores variam entre 60 e 90 batimentos por minuto. Quando fazemos atividade física é normal a freqüência cardíaca aumentar.





Como medir a freqüência cardíaca.


Para medir o pulso no punho, coloque os dedos indicador e médio (nunca o polegar) sobre o lado de dentro do punho oposto, abaixo da base do polegar. Pressione levemente com os dedos esticados até sentir os batimentos cardíacos. No início é complicado acharmos a pressão necessária mas depois da primeira vez não tem erro. Quando a medida for realizada no pescoço (carótidas) coloque os dedos ao lado do pomo-de-adão,  entre os músculos até sentir os batimentos. Cuidado para nunca apertar os dois lados do pescoço ao mesmo tempo.
Em pessoas mais velhas evite manipular a região das carótidas.

Para realizar a medida, sinta os batimentos por 15 segundos e multiplique por 4, assim teremos a frequencia cardíaca por minuto (bpm). Usualmente os batimentos são regulares -tum,,tum,,tum-. Eventualmente podemos sentir um batimento fora do ponto seguido ou não por uma pausa (falha) tum...tum.tum........tum..tum. Estas batidas são chamadas de arritmias que na sua grande maioria não são sinônimo de doença cardíaca.


As informações contidas neste blog não substituem a consulta médica

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Detecçao de fibrilação atrial ao alcançe de todos





A fibrilação atrial é a arritmia que mais frequentemente leva a consulta nas salas de emergência. Devido ao alto índice de complicações e ao fato que na maioria dos casos não existem sintomas, a comunidade médica  tem se preucupado em identificar as situações em que existe alto risco. Esta arritmia causa irregularidade nas batidas do coração e, por consequencia em todas as artérias do corpo.
Autores ingleses publicaram importante contribuição sobre o diagnóstico precoce da fibrilação atrial. Enfermeiras foram treinadas na medida do pulso em artéria radial.   Após o treinamento elas identificaram corretamente os pacientes com fibrilação atrial e encaminharam para avaliação médica ou seja, a simples palpação do pulso é um método rápido e efetivo para o diagnóstico de fibrilação atrial.
Estas informações não são inéditas, na verdade são muito antigas,  porem. cada vez menos o profissional de saúde examina o paciente adequadamente e por isto deixa de diagnosticar doenças que podem levar a aumento de risco. Na medicina oriental (chinesa), a avaliação do pulso (pressão, regularidade, etc) é fundamental para o diagnóstico de algumas patologias.

fonte:British Journal of Cardiac Nursing, Vol. 4, Iss. 9, 02 Sep 2009, pp 426 - 429

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Papel dos Planos de Saúde para agregar valor ao cliente

Acompanhando os passos de  Michael Porter  em sua incursão pela área de saúde, analisaremos o papel dos planos de saúde no modelo de saúde centrado no paciente.
Hoje em dia, plano de saúde é sinônimo de entidade pagadora na imensa maioria dos casos.
Esta diferença é fundamental pois os planos que atuam como pagadores são efetivamente financiadores do tratamento das saúde, e não de sua prevenção, que deveria ser a sua finalidade. O objetivo de doença zero é o ideal para o cliente mas, a cultura tradicional dos planos lida apenas com a minimização de custos. Diversos mecanismos são utilizados para este fim sendo os mais frequentes:
a- Negociação baseada apenas no menor preço com os outros componentes da cadeia totalmente independentes da qualidade do serviço prestado.
b- Falta de esclarecimento adequado ao segurado/usuário sobre seus direitos.
c- Escolha da rede credenciada baseada apenas no custo do serviço prestado.
d- Descredenciamento de médicos que solicitam procedimentos de alto custo.
e- Dificultar o acesso ao sistema
f-  Negar ou dificultar autorização para procedimentos de alta complexidade.
A cultura do " baixo preço" tende  a aumentar o custo do serviço prestado devido ao aumento da complexidade administrativa e a necessidade de manutenção de um fluxo de caixa positivo pelos prestadores de serviço.
Esta situação acaba drenando recursos destinados ao atendimento médico para a gestão do serviço de saúde e criando uma atmosfera de cinismo, descrença e desconfiança entre todos os participantes do sistema.

Postagens sobre gestão de saude

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

A história se repete: mais uma morte subita em atleta

O ex-meia do Grêmio e do Vila Nova de Goiás, Paulo Ramos. foi enterrado, nessa quarta-feira, em Goiânia. Ele tinha 24 anos e morreu em decorrência de uma parada cardiorrespiratória, na última terça-feira, quando jogava futebol com amigos em um sítio no interior do Estado. Ainda em campo, Paulo recebeu massagem cardíaca, sendo transportado ao  Hospital Monte Sinai, onde os médicos tentaram reanimá-lo, sem sucesso.
O ex-jogador tinha abandonado a carreira em março de 2008 em razão de uma arritmia cardíaca, aendo avaliado por diversos cardiologistas e todos indicaram a necessidade de suspensão da atividade física. A morte do meia Paulo Ramos não foi a primeira por problemas cardíacos no futebol.

Alguns casos já noticiados dentro dos gramados.

SERGINHO DO SÃO CAETANO
Em partida contra o São Paulo, em 2004, o zagueiro Serginho, do São Caetano, desmaiou no gramado do Morumbi após sofrer uma parada cardiorrespiratória. Atendido ainda no estádio, o jogador foi levado ao hospital, mas acabou morrendo no mesmo dia.

FOE DA SELEÇO DE CAMARÕES
Na semifinal da Copa das Confederações, em 2003, o camaronês Marc-Vivien Foe sofreu uma parada cardíaca em campo na partida contra a Colômbia. Apesar da tragédia, Camarões voltou a campo dias depois para encarar a França, seleção campeã da competição.

PUERTA DO SEVILLA
Também vítima de parada cardíaca, Antonio Puerta desmaiou no gramado durante um jogo contra o Getafe pelo Campeonato Espanhol, em 2007. Ajudado por companheiros, Puerta ainda se levantou e foi conduzido ao vestiário, onde sofreu outras cinco paradas.

A caminho do hospital, Puerta sofreu novas paradas, e, depois de permanecer internado por três dias, morreu por falta de nutrientes e oxigênio no cérebro.

FEHER DO BENFICA
Jogador do Benfica, Feher disputava uma partida contra o Guimarães, em 2004, e após uma jogada mais dura se sentiu mal e desmaiou em campo. Socorrido pelos médicos do clube ainda no gramado, foi constatada a parada cardíaca, que o levou a morte no mesmo dia.

DANI JARQUE DO ESPANYOL
Jarque conversava com a esposa, por telefone, na concentração do Espanyol, quando desmaiou. Apesar de ter sido levado rapidamente para um hospital, os médicos não conseguiram reanimá-lo.

fonte

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Blog Day

A Leandra do excelente blog tecnologia da informação e medicina escolheu o foradoponto como um dos seus blogs homenageados. Obrigado mas os verdadeiros homenageados são vocês, os leitores e interessados nos temas que os blogs da área médica apresentam.
Valeu Leandra

Os fabricantes de dispositivos de fitness ou qualquer dispositivo com sensores relacionados com a saúde, geralmente são cuidadosos e r...