I M P O R T A N T E

As informações, sugestões e tratamentos citados neste blog e em seus links tem caráter apenas informativo, nunca substituindo a opinião ou conselho de seu médico.

domingo, 28 de junho de 2009

Ataque Cardiaco e Parada Cardíaca são a mesma coisa?

Apesar da confusão natural, existem diferenças importantes.
O ataque cardíaco é causado por uma obstrução na passagem de sangue em uma artéria que leva sangue para o coração, causando o Infarto do Miocardio. Usualmente éa vítima sente desconforto ou mesmo dor forte no peito, irradiando-se para o ombro E, pou pescoço ou até mesmo para o estômago, acompanhada de falta de ar. Pode ocorrer em repouso ou até mesmo durante a noite e não melhora analgésicos usuais.
É altamente recomendável que alguem com mais de 40 sentido uma dor no peito procure um serviço de emergência. Sabe-se que quanto mais cedo iniciar o tratamento, menor a chance de dano do coração.

A morte súbita é causada por uma arritmia ou seja, uma aceleração inadequada do coração, fazendo com que ele não consiga bombear o sangue para o resto do organismo. Quanto mais cedo for reconhecido e tratado, maior a chance de sobrevivência. Pode ocorrer em quem não tem doença cardíaca, tanto em homens como mulheres. Nos Estados Unidos morrem aprox. 800 pessoas por dia, 300 mil vítimas por ano) só de parada cardíaca.

Como se reconhece uma parada cardíaca?
- Conheça os sinais de alarme: A vítima perde a consciência repentinamente, para de respirar e fica sem pulso.
- Nestes casos, se voce conhecer as manobras de reanimação, começe logo e peça socorro. Não pare até a chegada de atendimento médico.
- Se voce não conheçe as manobras de reanimação, peça socorro e inicie a pressionar forte no meio do tórax rapidamente.
Importante é saber que você pode fazer a diferença entre a vida ou a morte.
Aprenda as manobras de ressucitação antes do momento em que precisar utilizar!

http://www.americanheart.org/presenter.jhtml?identifier=3053

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Morre Michael Jackson após parada cardíaca

Segundo a CNN Michael Jackson (50 anos) foi declarado morto já no hospital onde foi atendido após parada cardiorespiratória. Ainda não é conhecido se o cantor morreu antes ou durante a internação.
VAmos esperar um pouco mais de informações para especular a respeito, o fato é que a morte súbita é efetivamente muito frequente. Fatores de risco existem e, a eles devemos dar nossa atenção. Sobre isto, em novos posts virão.

Michael Jackson hospitalizado por parada cardíaca

O site da CNN acabou de informar (18:30) que o cantor Michael Jackson foi atendido em casa em Los Angeles devido a parada cardíaca. Após a reanimação foi transferido para o hospital (UCLA), estando agora em coma. Ainda não foram divulgadas maiores informações.


http://edition.cnn.com/2009/SHOWBIZ/Music/06/25/michael.jackson/index.html

quarta-feira, 24 de junho de 2009

A cidade que mudou a Cardiologia: Framingham

Nos anos 40, as doenças cardiovasculares já eram identificadas como problema de saúde pública nos Estados Unidos. Em 1948, o governo americano iniciou um estudo para tentar identificar quais os fatores que contribuem para o surgimento destas doenças e a sua história natural (como evoluem). Assim iniciou o acompanhamento médico regular de aprox 5000 pessoas na pequena cidade de Framingham, no nordest americano
Estes são apenas alguns dos achados deste estudo:
1- Fumo aumenta o o risco para doençãs cardíacas (1960)
2- Colesterol elevado é identificado como fator de risco (1961)
3- A obesidade é identificada como fator de risco (1967)
4- A hipertensão foi caracterizada como fator de risco para derrames cerebrais (1971)
5- A menopausa aumenta o risco cardiovascular (1976)
6- Obesidade é fator de risco para o desenvolvimento de insuficência cardíaca (2002)
A lista dos benefícios que este estudo estão trazendo para o nosso conhecimento de prevenção de doenças cardiovasculares não para de crescer. Em 2006 foi iniciado o rastreamento do genoma de todos os participantes vivos do estudo. Muita coisa ainda vem por aí.

Bloqueio AV de primeiro grau é benigno?

Tradicionalmente, a presença de um discreto bloqueio (1 grau) na conduçao dos estímulos do átrio para o ventrículo (AV) não é algo relevante na prática médica. É normalmente classificado como uma alteração benigna.
Em estudo hoje publicado no Journal of American Medical Association (JAMA) foram avaliados 7545 indivíduos com idade média de 47 anos, participantes do estudo populacional de Framingham (ver próximo post) A análise dos resultados mostrou que os portadores desta alteração tem o dobro de chance de apresentar fibrilação atrial e tres vezes mais chance de necessitar de um marcapasso.
Este estudo mostra que é necessário o acompanhamento médico regular das pessoas com bloqueio AV de primeiro grau, ao menos com a realização de um eletrocardiograma.. Ainda não se sabe quais os fatores que podem levar um indivíduo a progressáo da doença.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Risco de fibrilação atrial aumenta nos distúrbios do sono

Em estudo publicado ontem no "Archives of Internal Medicine" foram avaliados 2900 homens com mais de 65 anos. Observou-se que quanto maior é a severidade da apnéia do sono, maior é a incidência de fibrilação atrial. Este estudo, em suas conclusões, sugere que o surgimento da deficiência de oxigenação causada pelos episódios de apnéia podem estar vinculados ao surgimento de arritmias.
Vamos com calma nas interpretações, é mais um estudo que confirma a relação das doenças do sono com arritmias cardíacas porém, ainda não existem dados definitivos sobre o tema.

domingo, 21 de junho de 2009

Evolução dos tipos de Fibrilação Atrial

A maneira como a fibrilação atrial se apresenta ainda não é bem entendida. Os médicos classificam como paroxística, a mais frequente, quando inicia subitamente e dura pouco tempo, persistente, quando inicia subitamente e dura mais ou ainda permanente. O fato é que ao longo do tempo, a maioria das pessoas passa para o tipo permanente. Ainda não se conhece exatamente o porque e nem o que faz com que esta progressão aconteça. Um recente estudo americano sugere que fatores como a presença de doença cardíaca, o tamanho da câmara do coração chamada de átrio esquerdo e a insuficiência cardíaca, podem predizer quais pacientes podem progredir para o modo permanente da fibrilação atrial.
Porque esta preocupação dos médicos?
A fibrilação atrial é uma doença que causa o batimento irregular do coração. Muito frequente, as estimativas são que só os Estados Unidos tem mais de 2 milhões de pessoas com esta doença. O maior problema é que ela está fortemente associada com a presença de trombos no corpo e, principalmente no cérebro, causando AVCs, (derrames), que podem deixar a pessoa paralítica, sem sensibilidade ou até mesmo a morte.


fonte: http://jafib.blogspot.com/2009/06/evolution-of-paroxysmal-atrial.html

domingo, 14 de junho de 2009

Impacto na mortalidade

 
Posted by Picasa


Impacto da morte súbita como maior causa de morte no ano de 2001 (Estados Unidos)

Morte Súbita: alguns números interessantes

- 33% de todas as mortes no mundo são por doença cardíaca.
- As doenças do coração matam mais que todos os tipos de cancer e AIDS juntos.
- Somente no Brasil, morrem mais de 800 pessoas por dia de doenças do coração.
- Por ano, em nosso pais, o coração mata mais de 300.000 pessoas
- É a maior causa de morte nos dois sexos

Desfibrilador salva vida de jogador de futebol - Vídeo

O jogador belga Anthony Van Loo, 20 anos, portador de um desfibrilador implantável teve uma pareda cardíaca durante um joge de futebol. Alguns segundo apos a queda observa-se um um tremor muscular nas pernas, indicativo do choque do aparelho, o qual salva o jovem jogador de morte súbita.
As causas mais comuns de morte súbita em jovens são as arritmias cardíacas, ou seja acelerações inadequadas e súbitas do coração.
Vídeo

Internet e Saúde

Em recente pesquisa avaliado o perfil do internauta que pesquisa sobre saúde:
  • 61 % dos adultos procuram informações sobre algum problema de saúde na Internet.
  • 52 % procuram assuntos sobre familiares ou amigos.
  • Apenas 6 % postam algum comentário ou observação referentes a saúde.
  • As redes sociais ainda não são utilizadas para assuntos de saúde.
  • 60 % dos e-pacientes dizem que a sua busca mais recente teve impacto na sua saúde ou comportamento e, a maioria destes, acha que o impacto foi positivo.
  • Demanda por exercícios e vida saudável está aumentando mas as doenças e tratamentos específicos ainda tem mais interesse.
  • Os mais jovens e mais bem educados usam mais a Internet para pesquisas de saúde.
  • 6 % tem algum site de saúde entre os " favoritos"
Um longo estudo conduzido por um grupo de tradição começa a colocar algumas luzes sobre um novo aspecto da relação entre o a medicina e a comunidade.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Colesterol e Triglicerídeos

Tanto o Colesterol como os Triglicerídeos são substancias muito utilizadas pelo organismo. A principal função do Colesterol é matéria-prima para diversos hormônios e os triglicerídeos são importante fonte de energia que as células utilizam. Estas gorduras ou são ingeridas ou produzidas oelo próprio corpo (endógenas). Na alimentação, eles estão contidos principalmente nos produtos animais que, quando ingeridos são absorvidos e transportados pelo sangue até o fígado, onde são processados e " embalados" em substancias chamadas de lipoprotenas que são transportados até as células.

Porque eles são " ruins" ?
Quando em quantidade além da normal, estas lipoproteinas costumam ser depositadas nas paredes das artérias, em um processo chamado de ateroesclerose, levando a obstrução da passagem de sangue com o possível surgimento de lesões (infarto, derrame) causadas pela diminuição da chegada de sangue nos rins, cérebro, coração.

O que leva ao aumento do Colesterol ?
Fatores como dieta mal balanceada, obesidade, sedentarismo, fumo, pressão alta, diabete estão diretamente vinculados com os níveis de Colesterol e Triglicerídeos e são modificáveis, ou seja podemos fazer com que voltem ao normal. Já a hereditariedade, idade e sexo são cahamados de fatores não modificáveis.

domingo, 7 de junho de 2009

Fibrilação Atrial realidade e mitos

A poucos dias foi divulgada pesquisa feita nos Estados Unidos mes de março deste ano (Out of Sync: The State of AFib in America Survey. Conducted by Yankelovich, Part of the Futures Company, March-April, 2009. Sponsored by sanofi-aventi)
Resultados interessantíssimos e que nos fazem pensar muito. Algumas constatações:
- mais de 80 % dos médicos acha que a fibrilação atrial é uma doença séria mas apenas 30 % dos pacientes tem esta impressão.
- Existe uma diferença média de quase dois anos entre o paciente relatar ao médico suas queixas e o diagnóstico ser realizado.
- 58 % dos pacientes com o diagnóstico procuraram mais informações e a Internet foi o melhor veículo que eles encontraram.
- mais de 90 % dos profissionais de saúde relataram que discutiram com seus pacientes os riscos da doença. Apenas 43 % dos pacientes lembram-se disto
- 60 % dos medicos comentaram com seus pacientes sobre eventuais hospitalizações devido a fibrilação atrial. Menos de 20 dos pacientes lembram.
Diferentes perspectivas sobre o mesmo (e sério) problema. Este descompasso de informações é um risco e ao mesmo tempo um aviso. A fibrilação atrial é uma doença de alto risco e, mesmo aqueles diretamente interessados não estão adequadamente informados. A exposição ao risco, mesmo após o diagnóstico é alta. Os profissionais de saude não estão conseguindo sensibilizar os pacientes. A internet parece estar sendo um bom auxiliar (ou substituto) para a educação. Mas, ainda temos muito a fazer, como médicos e como provedores de conteúdo. Enfim, deixo voces pensando um pouco. Outras postagens virão.

O que é Eletrocardiograma

O coração é um músculo que se contrai diversas vezes por minuto para bombear o sangue para o restante do corpo. Cada batida é gerada por um sinal elétrico que é gerado em uma pequena região do coração que após é conduzido para todas as células.
Com o auxílio de pequenos contatos metálicos encostados nos braços, pernas e no peito (eletrodos), um aparelho chamado eletrocardiógrafoo consegue captar este sinal elétrico gerado pelo coração. Estes sinais são os traços do eletrocardiograma.
Observando estes sinais, o médico consegue saber se o coração está batendo normalmente ou se apresenta algum sinal de falta de sangue (isquemia). Muitas vezes o eletrocardiograma de repouso é apenas o primeiro exame que o médico deve fazer para analisar o funcionamento do coração.
É bom saber que nem todas as alterações do exame são sinsai de doença.

Os fabricantes de dispositivos de fitness ou qualquer dispositivo com sensores relacionados com a saúde, geralmente são cuidadosos e r...